A Pirâmide de Maslow como ferramenta de motivação no trabalho

ilustração necessidades da pirâmide de maslow no trabalho

A motivação é um dos fatores fundamentais no ambiente de trabalho, seja por parte dos líderes, que devem buscar estratégias para manter a equipe constantemente motivada, seja do próprio trabalhador e sua habilidade em automotivar-se.

Sabemos que a motivação está intrinsecamente ligada ao sentimento de satisfação. Nesse sentido, existe um conceito da Psicologia chamado Pirâmide de Maslow, que traz uma abordagem extremamente válida para o ambiente organizacional nos dias atuais, ajudando a esclarecer o que motiva um indivíduo e como essa motivação está diretamente relacionada às suas necessidades pessoais e profissionais.

E você, sabe o que é Pirâmide de Maslow? Imagina como ela pode ser aplicada ao ambiente de trabalho? Acompanhe!

inscrição virada da semana

O que é a Pirâmide de Maslow

A Psicologia nos fornece uma série de teorias que nos ajudam a compreender o comportamento das pessoas em relação às suas necessidades pessoais e também no ambiente de trabalho. Nesse sentido, uma das mais conhecidas é a chamada Pirâmide de Maslow, também chamada de hierarquia das necessidades de Maslow.

Criada há mais de 60 anos, a teoria do psicólogo norte-americano Abraham Maslow preconiza que a satisfação de um indivíduo, seja ela pessoal ou profissional, se baseia em um conjunto de necessidades, divididas, por sua vez, em cinco diferentes níveis hierárquicos.

Desse modo, Maslow dizia que o ser humano vive constantemente em busca de satisfazer essas necessidades e que seriam essas conquistas o fator preponderante para a motivação de cada pessoa.

Para isso, a pirâmide foi dividida em cinco grupos de necessidades, em que as mais básicas se encontram em sua base e as mais elaboradas e complexas localizam-se no topo da pirâmide. Em ordem ascendente, temos as seguintes necessidades: fisiológicas, de segurança, sociais (amor e relacionamento), de autoestima e de realização pessoal.

Assim, são consideradas básicas as necessidades essenciais para a sobrevivência do indivíduo. Por outro lado, as mais complexas dizem respeito justamente a aspectos relacionados à satisfação pessoal e profissional.

Com isso, Maslow propunha que as necessidades de cada pessoas devem ser saciadas de forma hierárquica. Quer dizer, antes de pensarmos em estarmos satisfeitos no ambiente de trabalho, por exemplo, precisamos satisfazer todas – ou ao menos boa parte – das necessidades presentes nas seções anteriores.

Os cinco níveis que compõem a Pirâmide de Maslow, da base ao topo, são as seguintes:

Necessidades Fisiológicas

Trata-se das necessidades mais básicas do ser humano, indispensáveis à vida e à sobrevivência de um indivíduo. Entre elas, destacam-se os processos de sono, alimentação e respiração, bem como a disponibilidade de um abrigo.

Necessidades de Segurança

Consistem nas necessidades que o indivíduo deve saciar para se sentir seguro em relação à sua saúde, família, emprego e propriedade. São soluções para situações que, de uma maneira geral, encontram-se fora do nosso controle.

Assim, contam fatores como renda, a disponibilidade de um plano de saúde e seguro (de vida e de bens materiais), além da possibilidade de possuir casa própria e, assim, proteger seus bens.

Necessidades Sociais

Estão relacionadas ao campo afetivo e à sensação de pertencimento, aceitação e intimidade, aspectos considerados essenciais para a felicidade do ser humano. Parte-se do pressuposto de que somos seres sociais e que o bom relacionamento com nossos pares é um importante fator de motivação.

Assim, as necessidades sociais dizem respeito a nossa relação com família, amigos, colegas e parceiros; amizade e amor.

Necessidades de Estima (ou autoestima)

Trata-se das necessidades relacionadas ao sentimento de sentir-se estimado em cada um dos grupos e relacionamento a que pertence. Ou seja, estão relacionadas ao reconhecimento, respeito e confiança dos seus pares, bem como à valorização de conquistas pessoais e identificação da sua importância no grupo. Considera-se também não apenas o respeitos dos outros, como o respeito aos outros.

Necessidades de Realização Pessoal

Este é o topo da pirâmide. São, portanto, as necessidades mais complexas do ser humano e essenciais para que alcancemos a verdadeira realização pessoal e também profissional.

Aqui, consideram-se os valores e a moral do indivíduo, bem como a possibilidade de exercitar suas competências criativas por meio da autonomia e liberdade de ação. Também entram a autenticidade para ser coerente aos seus pensamentos e a capacidade de autocontrole e autoconhecimento.

 

A pirâmide de Maslow aplicada no trabalho

Os preceitos da Pirâmide de Maslow se mostram cada vez mais relevantes também para a psicologia organizacional, ajudando líderes e gestores a compreender melhor as necessidades de cada colaborador no ambiente corporativo e, assim, oferecer de maneira mais assertiva as condições para motivá-lo e obter o melhor desempenho possível de cada um.

Afinal, quando um profissional não tem nem suas necessidades mais básicas saciadas, obviamente seu desempenho no ambiente de trabalho é afetado, impactando diretamente sua produtividade e, consequentemente, sua motivação. Além disso, a satisfação das necessidades dos colaboradores implica também na felicidade de cada um deles com o seu emprego, outro fator de fundamental para o seu desempenho e satisfação pessoal.

Sendo assim, ao transportarmos os cinco níveis de necessidades para o ambiente profissional, teríamos algo como:

  • Na base, entram as necessidades relacionadas ao bem-estar físico e mental. Descansos, salários compatíveis com a função, intervalos e o respeito aos horários de cada função.
  • No nível seguinte, temos uma remuneração capaz de suprir as despesas mínimas para o colaborador e sua família, a estabilidade no cargo, um ambiente de trabalho seguro física e emocionalmente, além de benefícios que lhe confiram mais segurança, como planos de carreira, plano de saúde, seguros etc.
  • No terceiro nível, estão as necessidades de relacionamento no ambiente de trabalho. Nesse sentido, a boa relação com as lideranças e com seus pares, o sentimento de acolhimento e pertencimento junto aos colegas e um ambiente que permita que as relações interpessoais possam ser construídas de modo positivo e produtivo.
  • O quarto estágio diz respeito ao reconhecimento por seus resultados, seja na forma de bonificações financeiras ou por meio de elogios e feedbacks positivos.
  • No topo da pirâmide, entram a sensação de pertencimento e colaboração para a construção de algo maior, a possibilidade de atuar com autonomia e de participar dos rumos da empresa, colocando à prova suas habilidades criativas e de resolução de problemas.

A contribuição das ideias de Abraham Maslow para o processo de gestão de pessoas é inegável. Ao auxiliar na compreensão das necessidades dos colaboradores e o estágio em que se encontram, a empresa pode focar em ações mais assertivas para cada um deles. Profissionais motivados pelas razões certas sentem-se muito mais realizados e, como consequência, melhoram seu desempenho e trazem melhores resultados para a organização.

Manter uma equipe de trabalho motivada não é uma tarefa fácil. Nos dias de hoje, o relacionamento líder/funcionário é de fundamental importância para gerar um maior engajamento e admiração do time. Assim, a relação entre os diferentes níveis hierárquicos da empresa se tornou uma questão de sobrevivência corporativa, exigindo dos líderes e gestores uma atualização constante em busca de um olhar mais humano e capaz de compreender as necessidades de seus colaboradores.

inscrição virada da semana

Quer saber mais sobre o assunto? Não se esqueça de curtir a minha página no Facebook para ficar por dentro de todas as novidades, eventos e publicações!

Deixe seu comentário

Resolva a conta abaixo para publicar seu comentário: *